Ação voluntária de estudante contribui para visitante do Parque da Cidade cuidar da saúde‏

12182264_933328586738228_25369818_nO Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte é um ótimo local para a prática de exercícios como caminhada, corrida e funcional além do lazer, que também é uma forma de cuidar da saúde, e orientações sobre educação ambiental. São 2,6 quilômetros de trilhas pavimentadas que ligam a região Sul à Oeste da cidade e 1,6 km de trilha natural a ser percorrida dentro da mata. Mas, o que poucos sabem é que existe um projeto chamado “Sedentarismo Zero” e funciona na portaria do bairro Cidade Nova todos os sábados e domingos, às 6 horas da manhã, graças à boa vontade do estudante de Educação Física André Silva Gomes, de 29 anos, que dá aulas sem cobrar nada dos participantes.

A iniciativa do projeto partiu do próprio André Mix, como é conhecido profissionalmente. No início eram apenas ele, a esposa e uma amiga e hoje o grupo já tem quase 80 pessoas que acordam bem cedo aos finais de semana para cuidar da saúde, reduzir o peso e ter mais qualidade de vida. E o Parque da Cidade foi o cenário escolhido por ele devido à escadaria de acesso e pela situação financeira dos moradores do bairro. “Tomei essa inciativa quando uma amiga precisava de ajuda para emagrecer, o problema é que ela não tinha tempo para fazer as atividades na academia e nada melhor do que o cenário do Parque para ajudar as pessoas a perder peso”, explica. A partir dessa iniciativa as pessoas foram vendo os treinamentos e começaram a se interessar. André chamou o colega de turma da faculdade, Lavoisier Firmino, e juntos formaram o projeto “Sedentarismo Zero”, que completou um ano em agosto. Todos os sábados e domingos o grupo se reúne para duas horas de atividades (1 hora de zumba e 1 hora de funcional na escadaria).

André Mix diz que viu muitas pessoas fazendo atividades no Parque da Cidade não só pelo ambiente, mais também pelo fator financeiro, pois a prática de atividade sairia mais em conta para eles, uma vez que o Parque não cobra pela entrada, e teriam o mesmo resultado de frequentar uma academia, se recebessem alguma orientação profissional. “Nunca me interessei em cobrar e nem via essa necessidade, pois já tenho o meu emprego em algumas academias daqui de Natal”, diz orgulhoso da atitude.

Um exemplo desse esforço e resultado é o que acontece com a dona de casa Maria Josileide Gomes, de 31 anos, casada e mãe de dois filhos, que perdeu 30 kg depois que decidiu mudar de vida e entrou no projeto Sedentarismo Zero. Ela conta que levava uma vida totalmente sedentária e quando se deu conta já pesava 130 kg. “Minha vida era muito sedentária e decidi mudar essa situação quando dei conta do meu peso. Vi nesse projeto que acontece no Parque, uma oportunidade de melhorar a minha qualidade de vida. No início eu só caminhava e em três meses perdi 10 kg. Isso já foi um estímulo e em uma bela manhã encontrei o pessoal do projeto se exercitando e com a orientação dos professores comecei a fazer os exercícios e a aula de zumba. Aprendi, principalmente a respeitar o meu corpo e optar por uma alimentação saudável e já perdi 30 kg”, comemora Josileide. Para ela, o exercício físico trouxe vários benefícios e fizeram dela uma pessoa melhor. Ela perdeu peso e ganhou agilidade, segurança, foco, coordenação motora e condicionamento físico, que só trazem qualidade de vida. Hipertensa, conseguiu controlar as taxas com os exercícios e alimentação saudável.

O professor André Mix também comemora o resultado que as alunas apresentam. Ele conta que o Parque da Cidade é um local totalmente confortável para fazer qualquer tipo de atividade e atrai facilmente novos adeptos para os variados tipos de exercícios como a zumba (dança de ginastica aeróbica, com musicas em ritmo latino), treinamento funcional com ou sem material, subida e descida nas escadarias, caminhadas, corridas, alongamentos, dicas de alimentação saudável e que o trabalho voluntário é recompensador. “A recompensa maior é ver que eles participam de coração e alegria, e no final de cada aula, agradecem por mais um dia de atividades. Agradecimento, reconhecimento de um trabalho. Isso me faz mover cada dia mais e mais”, diz.

Quem quiser participar do projeto Sedentarismo Zero precisa ter como requisitos determinação, foco, força de vontade, acordar cedo e querer praticar exercícios para ter qualidade de vida. A entrada e estacionamento no Parque da Cidade também são de graça.

Fotos: Arquivo Pessoal/André Silva

_balada

Kelps pede que Governo explique economia de R$800 milhões na folha do Estado

ef5b53bd-0ba5-479e-bdfb-1c6444b19334
O deputado estadual Kelps Lima (SDD) falou em seu pronunciamento, nesta terça-feira (10), sobre a posição do Governo do Estado em gerar uma economia de R$ 800 milhões anuais com o resultado da auditoria realizada na folha de pessoal e com o censo previdenciário que começa no próximo dia 26. O parlamentar disse que o Governo precisa detalhar como será feito esse enxugamento na folha dos servidores.

“O governador deve ter pensado antes de fazer essa afirmação, o que significa reduzir a folha de pessoal em 16%. É importante que ele diga como isso será feito sem tirar o direito dos trabalhadores”, disse o parlamentar.

Kelps Lima afirmou que já apresentou um requerimento solicitando que o Governo do Estado apresente relatório da empresa que fez auditoria e detalhe essa redução. “Estou na expectativa”, finalizou o deputado.

Em aparte, o deputado Getúlio Rêgo (DEM), disse que acha que o valor de R$ 800 milhões, divulgado na capa de um jornal local, foi erro de digitação, com um zero a mais. “Tenho a impressão que foi um erro de digitação, porque pra economizar R$80 milhões já era um efeito muito positivo. Para assegurar esse valor com segurança é preciso um estudo qualificado”, complementou Getúlio.

Hermano Morais (PMDB) falou que o valor também o chamou atenção. “Espero que ele esteja certo em relação aos números, pois esse valor vai oxigenar a administração estadual”, disse o deputado. Ainda em aparte, o deputado Fernando Mineiro (PT) explicou que acredita que o Governo se referiu aos procedimentos que podem evitar o crescimento potencial da folha de pessoal em R$ 800 milhões.

Já o deputado Carlos Augusto Maia (PTdoB), se pronunciou sobre os depósitos judiciais e disse que devem ser utilizados exclusivamente para pagamentos de precatórios.

_tirinhajanybiju